• Home
  • Blog
  • Livros
  • Globalização do agronegócio e land grabbing: a atuação das megaempresas argentinas no Brasil (2017)

Globalização do agronegócio e land grabbing: a atuação das megaempresas argentinas no Brasil (2017)

Organizadores: Júlia Adão Bernardes, Samuel Frederico, Carla Gras, Valeria Hernández e Gabriela Maldonado
Ano: 2017

Editora Lamparina

O início do século XXI marcou a chegada de uma nova safra de capitalistas na agricultura mundial. Trata-se da significativa presença do capital financeiro internacional, representado por diversos tipos de fundos 
(pensão, soberanos, hedgeendowmentsprivate equity), corporações (bancos, seguradoras e empresas) e indivíduos de alta renda, sobretudo, nos países de maior dinamismo agrícola e com a disponibilidade de espaços para a expansão da agricultura moderna como o Brasil e a Argentina. Esse fenômeno se insere em uma dinâmica mundial de investimento em terra e na produção agrícola, decorrente, sobretudo, da significativa elevação dos preços dos alimentos ao longo da década de 2000 e da crise financeira de 2007–2008, no que se convencionou denominar global land grabbing.

Todavia, os investimentos na produção agrícola e em terras não se restringem aos tradicionais movimentos Norte–Sul. São cada vez mais comuns investimentos cruzados entre países periféricos, como no caso 
sul-americano. Dessa forma, este livro se propõe a analisar a atuação de um seleto grupo de megaempresas argentinas. Na sua maioria, são empresas agropecuárias de origem familiar que alcançaram grandes escalas produtivas e que, a partir de sua articulação com o capital financeiro internacional na década de 2000, expandiram seus investimentos para países vizinhos, especialmente para o Brasil, o Uruguai, o Paraguai e a Bolívia. Apesar de possuírem muitas características e processos comuns, cada uma delas adotou sua própria estratégia de acumulação, com diferenciadas formas de atuação territorial, inserção nas cadeias de valor e relação com o capital financeiro internacional.

Dessa forma, este livro reúne contribuições de geógrafos, sociólogos e antropólogos vinculados ao projeto de cooperação Brasil–Argentina intitulado “Globalização do agronegócio e território: as estratégias das empresas translatinas no Brasil e Argentina” e financiado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), no Brasil, em parceria com o Ministerio de Ciencia, Tecnología e Innovación Productiva (Mincyt), na Argentina. Sendo assim, o livro agrega diferentes perspectivas teóricas, metodológicas e reflexões conduzidas pelo desafio do diálogo interdisciplinar.

 

Sumário
Apresentação
Os organizadores

Parte I
Finanças, land grabbing e território

Globalização financeira e land grabbing: constituição e translatinização das megaempresas argentinas
Samuel Frederico
Carla Gras

O papel das inovações tecnológicas no sistema agroindustrial: dinâmicas produtivas e sociais no agronegócio argentino
Valeria Hernández

Estratégias do capital na fronteira agrícola moderna brasileira e argentina
Júlia Adão Bernardes
Gabriela Maldonado

Divisão territorial do trabalho e agronegócio: o papel das metrópoles nacionais e a constituição das cidades do agronegócio
Gabriela Maldonado
Marina Castro de Almeida
Ana Laura Picciani

Parte II
As megaempresas argentinas

Globalização do agronegócio e as empresas de private equity: articulações e estratégias do Grupo El Tejar
Samuel Frederico
Andrea Sosa Varrotti

Monopólio de terras e capital financeiro: a atuação da empresa Cresud na América Latina
Carla Gras
Rodrigo Cavalcanti do Nascimento

Estratégias empresariais do agronegócio argentino no Mercosul e a financeirização do setor agrícola: o caso do Grupo Los Grobo
Andrea Sosa Varrotti

Renda da terra e setor sucroenergético brasileiro: as estratégias territoriais da Adecoagro
Marina Castro de Almeida
Larissa Chiulli Guida